26.3 C
Manaus
24 de junho de 2024 | 05:50

Omar tira Wilson Lima do relatório da CPI da Covid; objetivo é não atrapalhar reeleição do governador

O Amazonas aguardava com ansiedade a apresentação do relatório da CPI da Covid do Senado. A expectativa era que o governador Wilson Lima, ex-secretários estaduais de Saúde, empresários e servidores públicos fossem apontados como cúmplices nas mais de 14 mil mortes por Covid no Amazonas.

Era a chance de apresentar os verdadeiros culpados pelo terror e medo vividos pelos amazonenses durante as primeira e segunda ondas da pandemia.

Para a decepção dos amazonenses que tiveram familiares e amigos mortos pelo coronavírus, o documento no indiciou nenhuma das pessoas envolvidas nas mortes ocorridas no Estado. O relatório produzido pelo senador Renan Calheiros sofreu grande influência do senador Omar Aziz, que presidiu a CPI.

Não é segredo para ninguém a relação de amizade e influência política entre Omar e Wilson Lima. O senador é conselheiro de Wilson, por isso buscou, de todas as formas, blindar o governador das denúncias expostas na CPI.

O relatório final não cita os responsáveis pelo caos na Saúde do Amazonas durante a pandemia. É como se o Estado não tivesse passado pelo inferno.

Graves denúncias como a compra superfaturada de respiradores hospitalares numa loja de vinhos, aluguel de hospital de campanha que jamais funcionou com 100% da sua capacidade, atraso no salário de médicos e outros profissionais da Saúde que atuaram na linha de frente de combate ao vírus são alguns dos casos que passaram despercebidos.

A falta de oxigênio nos hospitais de Manaus e do interior, que levou à morte centenas de pessoas, é outro exemplo do descaso da CPI com o povo do Amazonas. A falta de espaço nos cemitérios e até mesmo de caixões para enterrar vítimas da Covid ainda estão na memória de quem viveu dias de terror.

A sociedade exige e merece que os culpados sejam mostrados e punidos.

Para proteger Wilson Lima, o senador Omar Aziz prova que vale tudo na política. Nada pode atrapalhar o plano de reeleição do governador. Incluir o nome de Wilson no relatório da CPI causaria grande incômodo. Afinal, Omar e Wilson vão dividir o mesmo palanque na campanha eleitoral de 2022.

Vamos torcer para que a memória dos eleitores não seja tão fraca como dizem os políticos corruptos e assassinos.

Leia também outras matérias

Menezes é expulso do PL após chamar Alberto Neto de “Judas”

Redação Zero Hora AM

Verdade ou fake news? Neymar esclarece notícia de que será pai pela terceira vez

Hugo Bronzere

‘Bregaço’ marcará inauguração da ZL Music Hall nesta véspera de feriado, na Grande Circular

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo