25.3 C
Manaus
2 de março de 2024 | 17:02

Agora é oficial! Rio não terá festa de Réveillon por causa da variante Ômicron

O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou na agora há pouco que decidiu cancelar a celebração oficial do réveillon no Rio.

“Respeitamos a ciência. Como são opiniões divergentes entre comitês científicos, vamos sempre ficar com a mais restritiva. O Comitê da prefeitura diz que pode. O do Estado diz que não. Então não pode. Vamos cancelar dessa forma a celebração oficial do réveillon do Rio”, disse Paes.

O prefeito disse que toma a decisão com tristeza, mas que não tem como organizar a celebração sem a garantia de todas as autoridades sanitárias. “Infelizmente não temos como organizar uma festa dessa dimensão, em que temos muitos gastos e logística envolvidos, sem o mínimo de tempo para preparação”, garantiu.

As autoridades públicas passaram a semana discutindo questões de segurança e sanitária para a realização das festas de fim de ano e que medidas adotar após a chegada da nova variante Ômicron ao País.

Queima de fogos na praia de Copacabana, Réveillon Rio 2019

“Se é esse o comando do Estado (não era isso o que vinha me dizendo o governador), vamos acatar. Espero estar em Copacabana abraçando a todos na passagem de 22 para 23. Vai fazer falta, mas o importante é que sigamos vacinando e salvando vidas”, disse o prefeito.

Na quinta-feira (2-dez), a prefeitura do Rio ampliou o passaporte da vacinação para acessar diversos estabelecimentos como restaurantes, bares, hotéis e salões de beleza.

Há quatro dias consecutivos o Rio não tem registro de mortes por Covid. Entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro não houve óbito causado pela doença.

 

Exigem o passaporte:

  • bares, lanchonetes, restaurantes e refeitórios (áreas internas ou cobertas);
  • boates, casas de espetáculos, festas e eventos em geral;
  • hotéis, pousadas e aluguel por temporada;
  • salões de beleza e centros de estética;
  • academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento, clubes e vilas olímpicas (já era exigido);
  • estádios e ginásios esportivos (já era exigido);
  • cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil e pistas de patinação (já era exigido);
  • museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in (já era exigido);
  • conferências, convenções e feiras comerciais (já era exigido).

 

Leia também outras matérias

Mulher paga motorista de Uber com moedas de chocolate em vez de dinheiro

Redação Zero Hora AM

Lula chora ao ser diplomado no TSE, em Brasília

Redação Zero Hora AM

Inscrição para concurso da Receita Federal, com salário de até R$ 21 mil, termina amanhã (19)

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo