25.3 C
Manaus
27 de janeiro de 2023 | 09:52

Demissões em massa devem atingir ZFM a partir de agosto, avalia Eduardo Braga

A onda de demissões nas empresas da Zona Franca de Manaus (ZFM) deve começar em agosto deste ano e será causada pelo decreto do governo Federal que mudou as regras de cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em todo Brasil.

A avaliação é do senador do Eduardo Braga (MDB) e foi feita na reunião da bancada federal do Amazonas no Congresso Nacional. O encontro aconteceu na casa do senador Omar Aziz (PSD) e serviu para os parlamentares buscarem uma saída para defender a ZFM.

Eduardo Braga disse que o decreto que baixa a 25% a cobrança do IPI em todo vai atingir os setores econômicos e educacional do Amazonas, incluindo os repasses constitucionais da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e os fundos de Participação dos Municípios e do Estado, FPM e FPE.

“O IPI corresponde a 50% do FPM e do FPE. Isso quer dizer que os municípios e o governo do Estado terão menos recursos disponíveis para pagamento de pessoal e outras despesas. Isso é muito grave e precisamos reagir com inteligência”, afirmou Eduardo.

Braga disse que, desde março, quando começou a vigorar a primeira medida até este mês de abril, os empresários começaram a “botar o pé no freio” na aquisição de insumos, o que deverá acarretar na redução da mão-de-obra em pouco menos de quatro meses.

O senador do MDB voltou a criticar o governador Wilson Lima (União Brasil), que segundo Braga, disse que ingressaria no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a redução do IPI, o que até agora, não aconteceu.

“O governador está mais preocupado com outras coisas, do que em defender os empregos dos amazonenses”, criticou Eduardo.

No encontro, o emedebista disse, ainda, que a bancada federal do Amazonas e empresários do setor industrial vão “bater” à porta dos ministros do STF para mostrar que a medida do governo federal fere de morte o maior modelo de desenvolvimento regional do Brasil.

Braga lembrou que o Polo Industrial de Manaus sofre o maior ataque dos últimos 40 anos, e que agora, as medidas atingem a ZFM de forma sistêmica.

“Antes, as medidas eram em cima de determinados setores, como bens de informáticas, por exemplo. Agora, todos os setores são atingidos, sem exceção. E não vamos aceitar isso de braços cruzados”, finalizou Eduardo.

 

 

Leia também outras matérias

Concursos da Polícia Militar do AM vão exigir Ensino Superior de todos candidatos, propõe dep. Wilker Barreto

Redação Zero Hora AM

Briga generalizada em jogo de futebol deixa 127 mortos na Indonésia

Redação Zero Hora AM

Programa Nacional de Educação Fiscal inicia ciclo anual de webinários

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: