29.4 C
Manaus
23 de abril de 2024 | 16:48

Em reunião do CAS presidida por Alckmin, Wilson Lima destaca importância econômica e social da BR-319

O governador Wilson Lima voltou a pedir pelo avanço nas obras de recuperação da BR-319 e destacou o papel socioeconômico da rodovia, principalmente em momentos de crise. Durante a 313ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Suframa (CAS), presidida pelo presidente em exercício e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin, o governador ressaltou que, na última estiagem, empresas tiveram que dar férias coletivas aos colaboradores porque o polo industrial teve o abastecimento de insumos prejudicado.

Com a seca dos rios, navios que traziam os insumos não chegaram aos portos em Manaus. Segundo o governador, a rodovia também é importante para garantir o direito de ir e vir dos cidadãos do Amazonas e Roraima – únicos estados brasileiros isolados por via terrestre.

“Todos nós entendemos o papel econômico que essa rodovia tem e ela é fundamental, principalmente no momento de crise. Ela nos faltou nos momentos mais difíceis da pandemia, nos momentos mais difíceis agora da estiagem e, no ano passado, a gente não tinha outra alternativa. Os navios tiveram que ficar parados e não tinha como a carga chegar aqui no estado do Amazonas”, destacou Wilson Lima.

Na ocasião, o governador também pediu para a antecipação do processo de dragagem nos rios do Amazonas, como medida preventiva para a estiagem de 2024 para áreas como dificuldades de navegação, como na região do Tabocal, próximo ao município de Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus). A antecipação foi garantida por Alckmin para maio.

“A ideia é começar a dragagem no mês de maio. Então, vamos nos antecipar. Prevenir é bom”, anunciou Alckmin. “Em relação à BR-319, o Ministério dos Transportes criou um grupo de trabalho só pra isso, pra verificar exatamente a questão da pavimentação e trabalhar para ter sustentabilidade”, completou o presidente em exercício.

Potássio

O governador destacou, também, a decisão da justiça federal que repassou para o Estado o processo de licenciamento para exploração do potássio em Autazes (a 112 quilômetros da capital). Wilson garantiu que o governo atuará com o rigor necessário para cumprir as condicionantes para a preservação ambiental e também para que a produção resulte na redução da dependência do Brasil para a importação de cloreto de potássio, usado principalmente na agricultura.

Além do governador e do presidente em exercício, também estiveram presentes o ministro de Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequena Porte, Márcio França; o superintendente da Suframa, Bosco Saraiva; o vice-governador Tadeu de Souza; o senador Omar Aziz, líder da bancada federal no Amazonas, entre outros parlamentares e representantes de poderes e entidades de classe.

Reunião do CAS

No primeiro encontro do ano do Conselho de Administração da Suframa, foram aprovados 33 projetos industriais e de serviços cujos investimentos totalizam R$ 1,2 bilhão (US$ 249 milhões), preveem a geração de 1.084 empregos e faturamento projetado superior a R$ 6,3 bilhões (US$ 1,3 bilhão).

Na pauta estavam 15 projetos de implantação, 13 projetos de diversificação e cinco de atualização, abrangendo subsetores como termoplásticos e eletroeletrônicos e incluindo produtos consolidados no PIM, dentre eles motocicleta e bicicleta elétricas, televisor em cores com tela de cristal líquido, monitor de vídeo com tela de luminescência orgânica (Oled) para uso em informática, microcomputador portátil, entre outros.

Governo do Estado e ZFM

A sessão também teve caráter especial em alusão ao 57º aniversário da Zona Franca e da Suframa, celebrados no dia 28 de fevereiro. O modelo, atualmente, conta com aproximadamente 500 empresas concentradas na área delimitada pela legislação (Manaus e seus arredores) e é responsável por uma média de 112,5 mil empregos diretos.

Wilson Lima avaliou que as movimentações do Governo do Estado têm como objetivo manter a atratividade para que empresas realizem investimentos. Atualmente, a isenção estadual concedida varia entre 55% a 100% do ICMS, o que combinado com incentivos federais, torna o Polo Industrial de Manaus (PIM) extremamente competitivo, especialmente nos segmentos: eletroeletrônico, duas rodas, bens de informática, mecânico, termoplástico, relojoeiro, químico, entre outros.

O governador do Amazonas também lembrou que, em 2021, encaminhou à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas um Projeto de Lei – aprovado por unanimidade – que prorrogou por mais 10 anos (até 2032) a Política Estadual de Incentivos Fiscais, proporcionando segurança jurídica a investidores e garantindo a competitividade às empresas instaladas na área de abrangência da ZFM.

Em 2019, Wilson Lima criou ainda o Comitê de Assuntos Tributários Estratégicos (CATE) para acompanhar, analisar e elaborar propostas aos projetos de reforma tributária com objetivo de preservar o principal modelo econômico da região.

FOTOS: Diego Peres e Alex Pazuello / Secom

Leia também outras matérias

Vereador de Barreirinha, Van Alexandrino denuncia falta de merenda escolar no município e pede a prisão do prefeito Glênio Seixas

Redação Zero Hora AM

Passou do limite: ator global deseja morte de Bolsonaro

Redação Zero Hora AM

Fotos do corpo de Marília Mendonça, vendidas na Internet, são falsas, afirma assessoria da cantora

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo