28.3 C
Manaus
13 de julho de 2024 | 01:00

Governo do AM não investe recursos na expansão do GNV, afirma Cigás

O gerente de Comercialização e de Marketing da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), Diego Alveno, informou que o Governo do Amazonas não faz nenhum investimento para que a universalização do uso do Gás Natural Veicular (GNV) aconteça no Estado.

Diego Alveno explicou que, no momento, há somente três postos em Manaus que operam com o abastecimento de GNV para veículos e que até o fim do ano mais dois passarão a oferecer o serviço. “A expansão do serviço não é maior porque o Estado não dá incentivo”, afirmou o gerente.

A afirmação surpreendeu o deputado Dermilson Chagas (Podemos), que disse que o Governo do Amazonas já deveria ter mudado esse cenário, criando subsídios e isenção de tributos para que motoristas de transporte por aplicativo e motoristas particulares tenham acesso ao GNV, porque o custo do kit é alto e a maioria dos motoristas não pode arcar com o preço.

Para o parlamentar, o GNV pode se tornar o substituto da gasolina, diesel e etanol, desde que o Governo do Amazonas retire os principais entraves para que a universalização do uso do GNV seja concretizada no Amazonas.

“Foi uma surpresa essa informação que a Cigás nos trouxe: a de que o Governo do Estado não investe nada e não facilita a vida de ninguém. Isso causa uma frustração na vida de alguém que quer fazer um investimento nessa conversão da gasolina para o gás, para diminuir os custos dos motoristas de aplicativo; a pessoa fica até desmotivada porque a afirmação da Cigás foi muito forte quando ela diz que o governador não ajuda”, comentou Dermilson Chagas.

O parlamentar disse também que o Governo do Amazonas já deveria ter barateado o preço do kit para a conversão, porque esse é um dos principais entraves.

“Ele tem a Afeam e pode fazer isso a qualquer momento. E não fez antes, por que? Se vai fazer agora, será ótimo, porque quem vai ganhar com isso são os motoristas de aplicativo. Mas, se o governador reduzir o preço do kit, para as pessoas que não têm renda e que não estão aguentando o alto custo do trabalho como motorista de aplicativo, é o que vai fazer a diferença. Então, nós aguardamos que o Governo do Amazonas tenha um posicionamento se vai ou não reduzir o preço do kit e não só abrir uma linha de crédito para endividar quem não tem dinheiro”, sugeriu Dermilson Chagas.

“Se o governo reduzir o valor do kit, como tem a questão de ICMS e outros tributos, como o IPVA do carro, já vai ser uma grande ajuda e passará a estimular as pessoas a converterem seus veículos, que deixarão de usar gasolina e passarão a utilizar gás”, comentou Dermilson Chagas.

O parlamentar ressaltou que o transporte de passageiros por aplicativos se tornou um dos tipos de transporte mais utilizados pela população do Estado.

“Com o preço absurdo do combustível, essa categoria não tem mais como trabalhar sem ter prejuízo. Já basta o fato de que eles amargaram um período muito longo de restrição, devido à pandemia, quando quase não havia circulação de pessoas e eles não tinham passageiros para transportar como antes. Então, o nosso objetivo é pedir que o Governo facilite que o GNV seja acessado por essa e outras categorias também”, comentou Dermilson Chagas.

O parlamentar destacou também que, com a adesão ao GNV, mais motoristas poderão entrar nos modais, fazendo com que a população diminua o uso particular de veículos, impactando de forma direta para uma melhora no nosso sistema de trânsito, que está quase colapsando.

“O objetivo é justamente esse: facilitar a vida de todos, porque do jeito que está caótico o nosso trânsito, vai chegar a um ponto que nós vamos ter de fazer como em São Paulo, onde há rodízio de circulação de veículos”, enfatizou Dermilson Chagas.

Leia também outras matérias

Governo do AM indeniza últimos imóveis próximo ao Rapidão Rodoanel para andamento da obra

Redação Zero Hora AM

Reconhecimento nacional: TCE-AM tem “Comunicação que aproxima”, segundo SocialMediaGov

Hugo Bronzere

Governo do AM autoriza pagamento do ‘Guardiões da Floresta’ para 6,4 mil famílias em unidades de conservação no Estado

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo