28.3 C
Manaus
7 de fevereiro de 2023 | 13:38

Governo Federal culpa os índios pela falta de investimentos na Amazônia, critica Serafim

O Governo Federal quer culpar os indígenas pela falta de progresso e a ausência de investimentos na Região Amazônica. A afirmação é do deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), que hoje (10-mar) voltou a criticar o governo do presidente Jair Bolsonaro.

“Quero repudiar esse discurso de jogar a culpa nos índios. Eles não têm culpa de nada. Eles são os invadidos, não são os invasores”, afirmou Serafim. “Minha solidariedade aos indígenas e meu repúdio ao Governo Federal que usam os índios como responsáveis por uma culpa que é do Governo Bolsonaro, que não quer fazer os investimentos necessários para o desenvolvimento da região amazônica”, defendeu Serafim.

Durante o discurso, o deputado deu dois exemplos da falácia do Governo Federal, criada contra indígenas para mascarar o vazio de investimentos na região.

“O primeiro é o Linhão de Tucuruí para Roraima. O alarde é que não se pode avançar no Linhão porque tem que pagar um valor para os índios” criticou.

“Agora, vamos fazer uma conta rápida: um litro de diesel custa R$ 5. Boa Vista consome um milhão de litros de diesel todos os dias. Isso dá R$ 30 milhões de litros em um mês. A R$ 5 da R$ 150 milhões em um mês. A decisão judicial é de que eles sejam compensados em R$ 133 milhões. Isso, portanto, seria menos do que o gasto pela empresa de energia em um mês com óleo diesel. O impasse, não é de parte dos índios, o impasse é de parte do governo federal”, completou.

Segundo o parlamentar, no caso do Linhão de Tucuruí, o verdadeiro impasse é que a empresa concessionária responsável por levar o Linhão de Manaus para Tucuruí,  está exigindo da ANEEL um realinhamento de preço de R$ 1,5 bilhão.

“A ANEEL, por sua vez, diz que não tem que pagar isso. Aí eles ficam colocando os índios como bucha de canhão”, explicou o líder do PSB na ALE-AM.

Exploração de potássio em Autazes

Outro exemplo de que o Governo Federal vem usando indígenas para ocultar a falta de investimentos é o entrave para a exploração de silvinita e potássio em Autazes.

“O problema real para não produzir o potássio em Autazes não são os índios, que nem estão no território da mina do potássio. O problema é que não há energia suficiente e a exploração de uma mina de silvinita exige energia”, comparou Serafim.

“E o sublinhão, que seria um ramal a partir de Itacoatiara até Autazes, custa alguns milhões de reais e o Governo Federal não se dispõe a fazer esse investimento. Esse é mais um episódio onde os indígenas são usados como bucha de canhão”, concluiu.

Leia também outras matérias

Em Autazes, Eduardo Braga revela aos moradores as ações de apoio ao município, que o prefeito de oposição tenta esconder

Redação Zero Hora AM

Estudantes são filmados fazendo sexo em sala de aula no Iranduba

Redação Zero Hora AM

Governo do AM tem R$ 13 bilhões em caixa, mesmo assim Saúde e Seguranca continuam abandonadas

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: