26.3 C
Manaus
7 de fevereiro de 2023 | 14:12

Polícia suspeita que agente penitenciário foi envenenado em presídio de Manaus

O agente penitenciário Francisco Aldimar Souza de Alencar, de 39 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (14-fev) nas dependências do Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT).

A família suspeita que um detento tenha usado veneno de rato para matar o agente.
No site de Ocorrências de Mortos do Instituto Médico Legal (IML), a causa médica da morte consta como asfixia a esclarecer/obstrução das vias aéreas. No item causa básica da morte consta como indeterminada/suspeita.

A família da vítima acredita que Francisco foi envenenado por um detento.

Segundo os familiares, no retorno para casa, o agente passou mal e foi levado para a Unidade Pronto Atendimento (UPA) do Campos Sales. Ainda segundo a família, Francisco recusou se envolver com presos que o ameaçaram de morte.

A advogada da família, Luciana Seixas disse que Francisco chegou em casa sentindo muita dor de cabeça e chegou a vomitar. Ela disse que a família acredita que o agente ingeriu veneno para rato.

Nossa reportagem procurou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), mas não recebeu um posicionamento até a publicação desta matéria. Quando a resposta for obtida o material será atualizado.

No domingo (13-fev), o detento Daniel Costa de Oliveira, de 40 anos, foi assassinado nas dependências do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). De acordo com o relatório de ocorrência da Polícia Civil, a morte ocorreu após briga entre detentos por volta das 13h30.

Nota de esclarecimento

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que o agente de ressocialização Francisco Aldimar Souza de Alencar, prestador de serviço da empresa terceirizada RH MULTI, não morreu nas dependências da Unidade Prisional Antônio Trindade (Ipat), onde trabalhava.

A Seap ressalta que o agente saiu da unidade prisional ao fim do seu expediente de trabalho e que o mesmo sequer jantou dentro da unidade, mesmo assim, a RH Multi solicitou análise pericial em todas as refeições disponibilizadas aos agentes.

Dessa forma, foi instaurando sindicância para apurar os fatos e a terceirizada declara estar prestando toda a assistência aos familiares do agente.

 

Leia também outras matérias

“Por que o Governo não investiu na geração de emprego, se o Estado gastou R$ 5 bilhões acima do orçamento previsto para 2022?”, questiona Dermilson Chagas

Redação Zero Hora AM

Saiba quanto custa a nova pílula contra diabetes que também ajuda emagrecer

Redação Zero Hora AM

Pirataria nos rios do Amazonas prejudica empresas de transporte aquaviário, alerta dep. Dermilson Chagas

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: