26.3 C
Manaus
27 de novembro de 2022 | 12:27

URGENTE: fábrica recolhe remédio contra pressão alta por aumentar risco de câncer

A empresa farmacêutica Sanofi Medley comunicou que vai recolher todos os lotes de um medicamento anti-hipertensivo da marca Medley, por riscos à saúde dos pacientes.

O remédio é classificado como bloqueador dos receptores da angiotensina II (BRAs) e é tido como primeira linha no tratamento de hipertensão arterial, assim como é indicado para insuficiência cardíaca, proteção dos rins no diabete tipo 2 e proteinúria. As informações são do Portal PEBMED.

A losartana potássica da marca teria impurezas mutagênicas, que podem aumentar o risco de câncer em longo prazo, porém o risco específico dessa substância química causar efetivamente câncer em humanos ainda é desconhecido.

Os produtos recolhidos são:

  • Losartana potássica + hidroclorotiazida 50 mg + 12,5 mg;
  • Losartana potássica + hidroclorotiazida 100 mg + 25 mg;
  • Losartana potássica 50 mg;
  • Losartana potássica 100 mg.

Como entrar em contato

O recall é gratuito para os consumidores e os médicos devem orientar seus pacientes sobre a devolução. Quem tiver qualquer lote desses produtos, basta ligar para o SAC da Medley: 0800-703-0014. Em caso de dúvidas sobre o tratamento, um médico deverá ser consultado.

Losartana

O fármaco é considerado a primeira linha de tratamento da hipertensão arterial, principalmente em suas primeiras fases, além de insuficiência cardíaca, proteção dos rins no diabetes tipo 2 e proteinúria.

A losartana possui um mecanismo de ação que bloqueia o receptor da angiotensina II, elevando a pressão arterial e sendo produzida pelo organismo para manter o equilíbrio orgânico. Quando a sua produção aumenta, a hipertensão se instala.

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns incluem tonturas, diminuição da pressão arterial, hipercalemia, cansaço excessivo e vertigens.

A losartana potássica é contraindicada em pacientes com alergia à substância ativa ou a qualquer componente presente na fórmula.

Ademais, o medicamento não deve ser utilizado por gestantes e mulheres que estão amamentando, assim como indivíduos com problemas no fígado e rins ou que estejam sob tratamento com fármacos que contêm alisquireno na sua composição.

Recolhimento anterior

Nos anos de 2018 e 2019, diversas agências internacionais, como a Food and Drug Administration (FDA) observaram a presença de um contaminante no princípio ativo da losartana, a nitrosamina, um subproduto da síntese desse remédio.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e outras agências internacionais recolheram lotes do medicamento para teste e notificação dos fabricantes. Atualmente, o problema já foi resolvido.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Leia também outras matérias

1º Prêmio Águas de Manaus de Jornalismo Ambiental tem inscrições abertas

Redação Zero Hora AM

Falta de energia elétrica afeta bairros de Manaus no fim de semana; veja a lista

Redação Zero Hora AM

Criança com deficiência morre misteriosamente em Manaus

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: