28.3 C
Manaus
2 de março de 2024 | 15:34

URGENTE: Tecnológia 5G pode afetar aviões, dizem especialistas

A Boeing e a Airbus, maiores fabricantes mundiais de aeronaves comerciais, enviaram uma carta ao governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, solicitando que o lançamento do serviço 5G, previsto para o próximo mês, seja adiado.

David Calhoun, presidente e CEO da Boeing, e Jeffery Knittel, CEO da Airbus Américas, enviaram a comunicação ao Secretário de Transporte Pete Buttigieg, na qual indicaram que a implantação do serviço 5G, que começará a ser implementado em 5 de janeiro, poderia causar interferência que pode “afetar a capacidade da aeronave de operar com segurança”.

Conforme informa nosso parceiro Aviacionline, a análise de empresas do setor afirma que a interferência pode afetar centenas de milhares de voos por ano, gerando atrasos, desvios e cancelamentos.

O problema específico seria devido a uma possível interferência entre o rádio altímetro (RA) do avião e o sinal das torres do provedor de serviço 5G. O RA é um equipamento instalado na maioria das aeronaves comerciais modernas que utiliza ondas de radar para analisar a altura da aeronave acima do solo, e que é de vital importância para dois sistemas absolutamente críticos: o GPWS (sistema de alerta de proximidade do solo ou sistema de alerta de proximidade do terreno), que alerta a tripulação caso ela esteja em rota de colisão com a superfície; e o sistema Autoland, que permite pousos automatizados em condições de visibilidade zero.

A Federal Aviation Administration (FAA), que já está investigando a situação, emitiu um regulamento no início deste mês que proíbe os pilotos de usar o Autoland e alguns outros sistemas enquanto voam em baixa altitude em áreas com cobertura 5G.

A regra afeta cerca de 6.800 aeronaves registradas nos Estados Unidos e dezenas de fabricantes. Devido ao perigo que representava para a segurança, ao rotular as ordens de “urgentes” a FAA contornou o processo usual que exigia uma audiência pública antes da emissão de uma regra, procedendo a publicá-la imediatamente, sem primeiro ouvir o público.

Os CEOs da Boeing e da Airbus Américas observaram na carta que desenvolveram uma nova proposta que visa limitar a potência das transmissões 5G perto dos aeroportos, pedindo à administração de Biden que trabalhe com a Federal Communications Commission (FCC) para adotar tal plano. Não fazer isso, de acordo com os executivos, levaria a “enormes repercussões que viriam em um momento em que nossa indústria continua a lutar contra os efeitos da pandemia da COVID-19”.

Leia também outras matérias

Bolsonaro diz que haverá ‘rebelião’ se País decretar lockdown

Redação Zero Hora AM

Operação da PF apura desvio de recursos públicos do Fundeb no AM

Redação Zero Hora AM

Trânsito do Amazonas já tirou a vida de 195 pessoas só em 2021

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo