28.3 C
Manaus
7 de fevereiro de 2023 | 13:53

Maduro, da Venezuela, e Ortega, da Nicarágua, declaram apoio a Putin

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e o ditador da Nicarágua, Daniel Ortega, declararam, nesta quarta-feira (23/2), apoio ao presidente russo, Vladmir Putin, na investida militar contra a Ucrânia. A crise geopolítica no Leste Europeu tem deixado a comunidade internacional em alerta para o risco de uma possível guerra entre os países.

Maduro, após encontro com ministros, fez um pronunciamento para TV venezuelana e defendeu: “A Venezuela está com Putin, está com a Rússia, está com as causas corajosas e justas do mundo e vamos nos aliar cada vez mais”.

Na mesma tendência, Ortega, considerado um tirano pelo Ocidente, expressou apoio a Putin no reconhecimento das regiões separatistas Donetsk e Luhansk.

“A Ucrânia está procurando uma maneira de entrar na Otan [Organização do Tratado do Atlântico Norte] e entrar na Otan é dizer: ‘vamos à guerra com a Rússia’. E isso explica por que a Rússia está agindo do jeito que está: está simplesmente se defendendo”, declarou.

Ortega acrescentou: “Tenho certeza de que, se eles fizerem uma eleição ou um referendo lá, como o que fizeram na Crimeia, tenho certeza de que as pessoas votarão para se juntar à Rússia e retornarão à situação como era antes da queda da União Soviética”, finalizou.

Momento de tensão

O apoio de Maduro e de Ortega ocorre em meio a uma escalada sem precedentes na crise entre a Rússia e a Ucrânia. Esta quarta foi um dos momentos mais tensos desde o início dos embates, em novembro passado.

Na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o risco de um conflito armado dominou os discursos. Representantes da Rússia, Ucrânia, dos Estados Unidos, além do secretário-geral da entidade, António Guterres, falaram sobre o tema. Isso em meio a várias sanções econômicas contra os russos.

O Parlamento ucraniano atendeu ao apelo do presidente Volodymyr Zelensky e aprovou um decreto de estado de emergência válido para todo o país pelo prazo de 30 dias.

Agora, o governo pode impor restrições de deslocamento, na distribuição de informações e no que é divulgado pela mídia, além de exigir documentação de cidadãos. Todos os homens com idades entre 18 e 60 anos podem ser convocados para combate.

Separatistas pedem ajuda militar à Rússia contra “agressão da Ucrânia”. Antes, o serviço de inteligência americano havia informado que tropas russas estariam se movendo para a região.

A União Europeia fechou fronteiras para políticos russos e congelou bens, na tentativa de conter um conflito armado com a Ucrânia e isolar Putin.

Comunidade internacional em alerta
Na segunda-feira (21/2), o presidente Putin reconheceu as regiões separatistas como repúblicas independentes. A decisão foi vista como uma ameaça.

Com isso, nessa terça-feira (22/2), alguns países, como Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido, anunciaram sanções econômicas ao governo russo para isolar Putin.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a União Europeia têm feito alertas para o risco iminente de uma invasão russa no território ucraniano.

Crise em escalada

A Rússia e a Ucrânia vivem um embate por causa da possível adesão ucraniana à Otan, entidade militar liderada pelos Estados Unidos.

Na prática, Moscou vê essa possível adesão como uma ameaça à sua segurança. Os laços entre Rússia, Belarus e Ucrânia existiam desde antes da criação da União Soviética (1922-1991).

Nos últimos dias, a crise aumentou. A Rússia enviou soldados para a fronteira com a Ucrânia, reconheceu duas regiões separatistas ucranianas como repúblicas independentes e tem intensificado as atividades militares. A Rússia invadiu a Ucrânia em 2014, quando anexou a Crimeia ao seu território.

A Ucrânia pediu mais armas aos países do Ocidente, sob o argumento de defesa contra a Rússia. Além disso, convocou militares reservistas e liberou o porte de armas a civis.

Putin, por sua vez, acusa os ucranianos de desenvolverem armas nucleares, o que colocaria a segurança de Moscou em risco.

Com informações do Metrópoles

Leia também outras matérias

Jerry Lee Lewis, a lenda do rock, morre aos 87 anos

Redação Zero Hora AM

Polêmica: Papai Noel gay aparece em comercial dos correios

Redação Zero Hora AM

Plano de combate ao suicídio deve ser prioridade no Amazonas, afirma dep. Wilker Barreto

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: