25.3 C
Manaus
2 de março de 2024 | 17:08

Professores vão à Justiça para garantir pagamento da data-base pelo governo do AM

Ignorados pelo governo do Estado, professores têm até hoje, 5 de abril, para garantir o pagamento por força da lei eleitoral

Correndo contra o tempo para garantir melhores salários aos profissionais da Educação do Amazonas, o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical) ingressou ingressou hoje (05-abr) com ação na Justiça, para obrigar o governo do Estado a pagar a data-base 2022 à categoria.

A urgência acontece porque hoje encerra o prazo para que o governo do Amazonas garanta a reposição salarial dos servidores públicos, por conta do calendário eleitoral.

Desde início do ano, o sindicato tenta dialogar com o governador para garantir a reposição salarial. No dia 31, o professor Alan de Moura Machado foi agredido pela segurança interna do governo.

“Vamos dar entrada na Justiça, com pedido de liminar, de uma Ação de Obrigação de Fazer, para que o governador cumpra a lei e mande um projeto para Assembleia legislativa dizendo do percentual do nosso reajuste salarial”, informou Lambert Melo, coordenador de Comunicação da Asprom/Sindical, lamentando a atitude de Wilson Lima.

Para o sindicalista, a falta de diálogo do governador Wilson Lima com a categoria, ameaça deixar os professores sem a reposição salarial este ano. “Tudo indica que nós teremos aumento real de salário e tampouco a reposição da inflação. Porque hoje entra em vigor a lei eleitoral. Fizemos tudo para garantir o nosso reajuste salarial. Não fomos recebidos pelo governador e fomos ignorados”, declarou.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, por sua vez, declarou que Wilson Lima precisa cumprir a lei para o pagamento da data-base dos professores. “Continuaremos na pressão para que ele assine e envie essa mensagem à casa legislativa. Os trabalhadores não podem ficar sem o percentual de data-base, que já é pouco, frente à cesta básica do estado do Amazonas que hoje está R$ 625”, disse.

Para a sindicalista, “é preciso que o governador bote a mão na consciência e faça cumprir o que a lei diz que todo ente federado, que tem a data-base dos trabalhadores no dia 1º de março, tem de pagar até o dia 5 de abril. Isso não é um favor, é um cumprimento da lei.

Ana Cristina Rodrigues ressaltou que após pressão por parte dos professores, o governador sinalizou a promoção vertical dos professores. “Após muita pressão, hoje pela manhã, ele falou que vai assinar as progressões na vertical, o que estamos cobrando há quase dois anos. E finalmente vai acontecer”, disse.

Leia também outras matérias

Caio André apoia Moção de Repúdio contra propaganda da AM Energia

Redação Zero Hora AM

Secretaria de Saúde de Manacapuru recebe mais de R$ 1 milhão em emenda do deputado Dermilson Chagas

Redação Zero Hora AM

Garota tatua os olhos, fica cega, e coloca a culpa no tatuador

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo