31.3 C
Manaus
22 de maio de 2024 | 14:09

Emendas à Reforma Tributária asseguram competitividade da ZFM, garante Eduardo Braga

No mês em que a Zona Franca de Manaus (ZFM) completa 55 anos de existência, o senador Eduardo Braga (MDB/AM) reforçou a mobilização em defesa do modelo e dos empregos por ela gerados ao apresentar duas emendas à Proposta de Emenda à Constituição da Reforma Tributária (PEC 110/2019).

O relatório sobre a matéria deve ser lido nesta quarta-feira (23-fev), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Na avaliação do parlamentar, as mudanças propostas na referida PEC deveriam considerar de forma mais criteriosa os impactos à ZFM, “criada em 1967 para estimular o desenvolvimento econômico da região amazônica, para incentivar a proteção ambiental e de fronteiras e para melhorar a qualidade de vida dos moradores da região”.

Numa das emendas apresentadas, Eduardo sugere que não seja criado o chamado Imposto Seletivo (IS) em substituição ao Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Segundo ele, o IS tem somente como objetivo sobretaxar bens e serviços que causam prejuízos ao meio ambiente ou à saúde. Ou seja, atuará a partir de uma finalidade meramente regulatória de desestimular o consumo de determinados bens e serviços.

p

Essa função, observa o senador, já é exercida pelo IPI, que também é considerado um instrumento de arrecadação e de política industrial. “Ao eliminar o IPI, a União perderá uma importante fonte de receitas”, alerta o parlamentar, que destacou a relevância desse tributo para o modelo ZFM.

“Boa parte do sucesso da Zona Franca de Manaus, com geração de dezenas de milhares de empregos e produção de elevado conteúdo tecnológico, deve-se ao fato de a produção local gozar de isenção do IPI. ”

O fim do incentivo fiscal, acrescenta Eduardo, pode liquidar uma política industrial que vem compensando a capital amazonense e obrigar a economia local a retroceder ao patamar de produtora de bens primários e de baixo valor agregado. “De forma a ameaçar a integridade daquele que talvez seja o nosso maior patrimônio, qual seja, a Floresta Amazônica. ”

Direito a benefícios fiscais – Na segunda emenda que apresentou, o senador pelo Amazonas admite a criação de novos tributos em substituição aos impostos que compõem a cesta de incentivos do modelo de desenvolvimento regional, o ICMS e, PIS/Cofins e IPI, desde que a ZFM continue sendo uma área de livre comércio, com direito a benefícios fiscais atualmente existentes até 2073, período em que o modelo deve deixar de vigorar.

Na mesma matéria, Eduardo sugere que a arrecadação do imposto sobre bens e serviços produzidos na ZFM seja partilhada entre o Estado do Amazonas e o estado de destino.

Além disso, ele reivindica a compensação pela perda de receitas próprias do Estado do Amazonas em virtude da extinção ou redução da alíquota do ICMS.

Leia a íntegra das emendas:

Emenda_EB_188

Emenda_EB_189

Leia também outras matérias

Na abertura dos trabalhos legislativos, Wilson Lima ressalta alinhamento entre poderes e manutenção de investimentos em áreas prioritárias em meio a desafios

Redação Zero Hora AM

Comunidade da Sharp recebe caminhada de Eduardo Braga, que anuncia obras do Prosamim

Redação Zero Hora AM

Porto de Manaus reduz tarifas para usuários após denúncia do deputado Rozenha

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo