31.3 C
Manaus
22 de maio de 2024 | 13:55

TCE-AM inicia auditoria operacional para avaliar controle da gestão florestal no Amazonas

Para identificar possíveis deficiências operacionais e propor soluções para aprimorar a gestão do controle e proteção do patrimônio florestal do Amazonas, o Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), por meio da Diretoria de Controle Externo Ambiental (Dicamb), iniciou uma auditoria operacional considerando que o desmatamento e a exploração ilegal persiste na região, apesar das ações de comando e controle.

Realizada por determinação da conselheira-presidente Yara Amazônia Lins, e com coordenação técnica do conselheiro Júlio Pinheiro, a auditoria operacional se diferencia das tradicionais por adotar uma análise mais aprofundada, permitindo identificar tendências e padrões, possibilitando um diagnóstico mais preciso dos problemas e a propositura de recomendações voltadas ao fortalecimento da governança do setor florestal.

“Ao contrário de auditorias tradicionais que analisam casos isolados, a auditoria operacional adota uma visão ampla da gestão, examinando-a em suas diversas variantes por um período determinado, permitindo a identificação de fatores que contribuem para ocorrência de óbices operacionais e seus efeitos, como no caso em tela, o aumento do desmatamento”, explica a diretora de Projetos Ambientais do TCE-AM, Anete Ferreira.

“Este tipo de auditoria é importante porque permite ao TCE-AM avaliar a governança florestal do estado e propor melhorias que tenham um impacto duradouro. Agora, com o foco na gestão florestal, a auditoria permitirá que o tribunal ofereça recomendações para melhorar a governança florestal e combater o desmatamento”, acrescentou.

Para o secretário de Controle Externo do TCE-AM, Stanley Scherrer, a auditoria é um diferencial da Corte de Contas amazonense por se preocupar com a realidade dos povos que integram a Amazônia Legal.

“A auditoria operacional da gestão florestal é de extrema importância para o Amazonas, um estado que possui a maior floresta tropical do mundo. Através dessa iniciativa, o TCE-AM busca contribuir para a preservação desse patrimônio natural vital para o planeta e para as futuras gerações”, disse.

Próximos passos

A auditoria operacional do Controle da Gestão Florestal seguirá até setembro, com visitas técnicas ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) e à Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), para pesquisa documental, entrevistas e aplicações de ferramentas de auditorias.

Jonas Almeida, Diretor de Controle Externo Ambiental do TCE-AM, enfatiza a importância dessas inspeções para melhor compreensão das dificuldades enfrentadas pelos gestores e como estas afetam a capacidade de resposta às questões climáticas e florestais.

“Com esta auditoria, o Tribunal de Contas do Amazonas busca promover uma gestão florestal mais eficaz, eficiente e sustentável, contribuindo para a proteção do meio ambiente e para o bem-estar das futuras gerações no estado do Amazonas”, disse.

Capacitação

Para garantir a eficácia da auditoria, o TCE-AM promoveu um curso de formação para auditores de controle externo, capacitando-os para lidar com as complexidades da auditoria ambiental.

Leia também outras matérias

Caio André quer mais rapidez na desapropriação de residências em áreas de alagamento na zona sul

Hugo Bronzere

Consumidores da AM Energia procuram dep. Fausto Jr. para denunciar cortes ilegais

Redação Zero Hora AM

Veteranos da força aérea de Manaus tornam público edital de convocação

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo