29.3 C
Manaus
20 de abril de 2024 | 12:09

Dermilson Chagas convoca moradores de Anori e Codajás para descobrir onde está o dinheiro da estrada que liga os municípios

Os moradores dos municípios de Anori e Codajás, no interior do Amazonas, estão sendo convocados pelo deputado Dermilson Chegas (Republicanos) para ingressarem com uma ação civil pública com objetivo de descobrir e penalizar os responsáveis pelo abandono da obra de pavimentação da estrada que liga as duas cidades.

A obra foi iniciada em 2013, porém nunca foi finalizada e o local se tornou um lamaçal do início ao fim da via.

“Se você tiver uma associação, vamos entrar com uma ação civil pública pedindo providências para saber onde foi parar o dinheiro da obra de pavimentação da estrada Anori-Codajás que já foi paga, mas não finalizada. O Governo do Amazonas pagou R$ 66 milhões dessa obra, ou seja, 95%, e cadê o asfalto, cadê a estrada?”, questionou o deputado Dermilson Chagas em vídeo direcionado para a população dos dois municípios.

O deputado Dermilson Chagas disse que o abandono da obra causa diariamente problemas aos produtores rurais dos dois municípios, que não têm como escoar suas produções, e também para a população, que não tem como transitar com segurança pela estrada inacabada.

“Não existe nada. Roubaram a tua esperança, a tua dignidade e o teu direito de poder trabalhar e poder escoar a sua produção. Vou deixar meu número de WhatsApp para que você entre em contato comigo: (92) 99525-1555. Vamos descobrir para onde foi e quem ficou com esse dinheiro todo”, disse o deputado Dermilson Chagas em um dos trechos do vídeo.

Anori e Codajás estão localizados na região do Baixo Rio Solimões. Anori fica a 194.31 quilômetros de Manaus em linha reta, e Codajás, 239.64 quilômetros em linha reta. Atualmente, a população estimada de Anori é 21.937 pessoas. Codajás possui a estimativa populacional de 29.691 pessoas.

Denúncia na tribuna

O deputado já denunciou, por diversas vezes, na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o abandono da estrada Anori-Codajás, cuja obra de pavimentação iniciou em 2013 e até hoje não foi concluída.

O contrato inicial da obra de pavimentação da estrada estava orçado em R$ 55,5 milhões, mas, posteriormente, subiu para R$ 74 milhões. Desse valor, o Governo do Estado já pagou, segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), um total de R$ 63,1 milhões.

O parlamentar destacou que o contrato da obra (nº 035/2013) determinava um prazo de 630 dias para a conclusão dos serviços.

Dermilson Chagas esteve no local no ano passado e neste ano, e percorreu alguns trechos da estrada, constatando que a obra continua paralisada e que se transformou em um atoleiro de 48 quilômetros, que é o total da extensão contratada para a realização do serviço.

“Várias empresas receberam pagamento, mas não realizaram o serviço. Estou encaminhando questionamentos ao Ministério Público para saber o que foi feito com o recurso e o que o Estado deixou de fazer para punir essas empresas que ganharam a licitação para fazer essa obra”, disse o deputado Dermilson Chagas.

O parlamentar disse que o abandono da obra prejudicou a população dos dois municípios de várias formas, principalmente os agricultores, que dependem dessa estrada para escoar a sua produção e para poder circular livremente entre os dois municípios.

“Roubaram a esperança de milhares de produtores, que poderiam ter uma produção melhor, que poderiam ter tido elevação da sua qualidade de vida, além de ter o seu direito de ir e vir assegurado, mas que, infelizmente, ficou somente no sonho”, comentou o deputado Dermilson Chagas.

Recursos públicos desperdiçados

Em 2013, o valor inicial para a realização da pavimentação da estrada Anori-Codajás era de R$ 55.515.898,24. Em 2018, a obra recebeu aditivo de R$ 13,7 milhões, passando para R$ 69.281.641,71.

Em agosto de 2018, de acordo com um relatório de contrato de obras da Seinfra, o Governo do Amazonas já pagou R$ 63.151.954,77 para a empresa responsável pela obra, a Império Construções e Serviços Ltda.

Porém, em discurso no município de Codajás, em 25 de junho de 2021, o governador Wilson Lima afirmou que o Governo do Amazonas já pagou um total de R$ 66 milhões.

A Império Construções e Serviços Ltda. alterou, posteriormente, a sua razão social, passando a utilizar o nome Concreterra Construções e Terraplanagem Ltda. O CNPJ da empresa é 03.203.179/0001-72, o mesmo que a Império Construções e Serviços utilizava na Receita Federal.

Leia também outras matérias

Portal Zero Hora Amazonas irá cobrir as últimas homenagens ao Rei Pelé, em Santos (SP)

Redação Zero Hora AM

Projeto de Deputado Pablo amplia aos municípios da Região Metropolitana de Manaus os incentivos da ZFM

Redação Zero Hora AM

Desejo por carros de luxo tem relação com tamanho do pênis, apontam cientistas

Redação Zero Hora AM
Carregando....
Pular para o conteúdo